A visão dos bebês

354c71173d-1152x864Sabia que nos primeiros meses de idade seu bebê só enxerga um vulto? É isso mesmo. Ele enxerga desde que nasce, mas a visão se desenvolve a partir dos 6-8 meses de vida. Mas como a visão se desenvolve? Aos poucos: quando o bebê nasce a visão fica embaçada – porém, ele entende o que é luz, forma e movimento. “É como se o recém-nascido fosse míope”, explica Augusto Magalhães, médico oftalmologista.  

  • Vamos entender o processo:

Já percebeu que seu filho fica vesguinho? É porque ele não sabe usar os olhos de forma simultânea. No primeiro e  segundo meses de vida ele já consegue focalizar os dois olhos e acompanhar o que está acontecendo a sua volta. Por isso o bebê parece estar hipnotizado quando olha.

O bebê começa a enxergar as cores que existem, a partir do segundo mês, mas cores parecidas como o vermelho e o laranja, eles têm dificuldade de distinguir uma da outra, pois, eles apenas “enxergam” o verde e o vermelho. Por esse motivo preferem cores como o preto e o branco. É entre os dois meses e os quatro meses que o bebê distingue cores semelhantes. E a partir dos três meses eles começam a enxergar o azul. “Uma nota curiosa é que apesar de serem capazes de discriminar as cores logo nos primeiros meses de vida e apesar das cores primárias estarem incluídas nos primeiros 200 vocábulos que aprendem, as crianças só nomeiam de forma consistente as cores depois dos três ou quatro anos”, garante Magalhães.

É no quarto mês que o bebê começa a entender o processo de profundidade, ou seja, ele distingue o que está perto dele e o que está longe. É nessa época que ele controla melhor os braços, assim o visual facilita na hora de ficar puxando seu cabelo e seus brincos, o que para ele é uma coisa diferente.

Nos primeiros meses, a visão de um bebê chega a apenas 50% da intensidade da de um adulto.

Agora, a partir do oitavo mês em diante é quase a mesma. O bebê já distingue muito bem as cores e possui uma capacidade de profundidade muito grande. Enxerga melhor de perto e já reconhece as pessoas ao seu redor. Com oito meses a cor dos olhos do bebê geralmente é a cor que será definitiva, embora a íris possa mudar. “Quando falamos da cor dos olhos falamos da cor da íris. Na sua estrutura, existem fundamentalmente duas camadas: uma posterior que é muito pigmentada em todas as pessoas (epitélio pigmentado da íris) e que serve para filtrar a entrada da luz no olho, e uma anterior chamada estroma, em que a quantidade de pigmento é variável de pessoa para pessoa. É justamente o pigmento do estroma que confere a cor aos olhos. O pigmento do estroma aumenta após o nascimento por ação da luz (tal como acontece na pele). Uma criança com um ano de idade tem normalmente metade do pigmento final na sua íris, e só por volta dos três anos existe o pigmento definitivo”, reforça Augusto Magalhães. Há casos que a cor dos olhos da criança muda após a infância. Também existem doenças e medicamentos que fazem a cor dos olhos mudarem em qualquer idade.

O bebê mesmo pequeno é muito esperto, quando nasce, ele já prefere ficar com faces que se mostrem familiares e, principalmente, a face da mãe. Mas como ele consegue isso?  Essa preferência está ligada ao contorno da face, do perfil, do cabelo. E este fenômeno é, normalmente, conhecido por efeito da externalidade. Tanto é que, se a mamãe mudar o penteado, colocar uma touca, o recém nascido dificilmente irá reconhecê-la.

Os detalhes da face e o reconhecimento das pessoas ao seu redor acontecerá depois dos três meses de idade – quando uma área do córtex temporal for integrada na função visual. As faces humanas que reconhecemos depende dessa zona específica do córtex cerebral. Uma dica para as mamães é que mantenham seu rosto perto do recém nascido para que ele observe seus traços.

Existem alguns cuidados que toda mãe deve ter com os olhinhos do bebê. É preciso fazer exames nos olhinhos deles, ainda na maternidade, para ver se não existem doenças, como a catarata congênita, (uma opacidade do cristalino que pode acometer criança se a mãe apresentou rubéola durante o período gestacional)  e o retinoblastoma (um tumor maligno que se desenvolve na retina).

 É preciso falar com seu pediatra se você perceber que:

  • Seu filho não consegue fixar o olhar ou acompanhar um objeto com os dois olhos aos 3 ou 4 meses de idade;
  • Se seu bebê é prematuro, pois eles correm mais risco de ter determinados problemas visuais, como astigmatismo, miopia e estrabismo;
  • Se é recorrente problemas genéticos na família.images

Ainda, segundo o oftalmologista, “A alimentação é muito importante. Sempre que possível os bebês devem ser amamentados. O leite materno garante uma dieta equilibrada a todos os níveis e o seu alto teor em ácidos gordos polinsaturados favorece um desenvolvimento mais rápido da função visual no bebé”. A higiene também conta: não deixe acumular muita remelinha no olhinho do seu bebê, todo cuidado é pouco!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>